RIO - O sorridente Cauê, solzinho que se tornou símbolo do Pan, ganhou nesta terça-feira um acessório de mau gosto, que não combina com o alto astral que a cidade tem vivido, às vésperas da abertura dos jogos e logo após a escolha do Cristo como uma das novas maravilhas do mundo. No Complexo do Maracanã, cinco bonequinhos foram pintados com um fuzil na mão. Os pichadores, que aproveitaram um muro recém-pintado de branco, diante do Parque Aquático Júlio de Lamare, fizeram desenhos de apenas 30 centímetros de altura, mas o tamanho do estrago na imagem do Rio é bem maior.

? É de um tremendo mau gosto. As pessoas que fizeram isso não têm cultura e certamente não enxergam que o Pan ajudou a melhorar o policiamento da cidade e atraiu investimentos federais para o Rio ? reclama o presidente da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira, Alfredo Lopes.

Outros Cauês armados já haviam aparecido no Centro, mas nenhum fora, até ontem, desenhado justamente perto dos locais dos jogos que atrairão milhares de cariocas e turistas. Para tentar combater o estrago, um funcionário do Maracanã, à noite, apagou os desenhos, logo após policiais, que fizeram uma limpeza parcial, realizarem a perícia.

Vizinhos do estádio disseram não ter visto os autores das pichações, mas esportistas que correm no entorno do Maracanã supõem que os vândalos tenham atacado o muro, na esquina da Avenida Maracanã com a Rua Mata Machado, de madrugada, aproveitando o pouco movimento no local.